Blog

Como garantir a segurança em áreas comuns do prédio

Como garantir a segurança em áreas comuns do prédio

15.05.18

|

postado por MARKETING KIPER

|

TECNOLOGIA

Garantir a proteção em áreas comuns do prédio está entre as atribuições do síndico, que precisa sempre orientar funcionários e moradores sobre as principais normas de segurança que devem ser cumpridas por todos.

As áreas comuns de um condomínio, ou seja, aquelas que são de uso coletivo dos moradores, como piscina, salões de festas, garagens, entre outras, devem ser protegidas pelo síndico e funcionários e utilizadas com responsabilidade por moradores, visitantes e prestadores de serviço. Quando não há uma supervisão efetiva, a conduta inadequada nas áreas de uso comum pode gerar conflitos entre vizinhos e a administração e sérios incidentes que podem, até mesmo, acarretar em ações contra o condomínio.

O especialista em segurança Diógenes Lucca garante que para regular o uso dos espaços comuns, o primeiro passo é adotar medidas simples como comunicar amplamente informações sobre o que é permitido ou não nesses ambientes. Por isso, é essencial que cada condomínio estabeleça um conjunto de regras que devem prever as formas de utilização de cada local e que estejam em conformidade com o Código Civil e a Constituição Federal.

O ideal é que a definição do conjunto de normas de segurança que devem ser cumpridas por todos seja debatida e aprovada durante assembleia de condomínio. É importante também que essas normas sejam devidamente revistas e readequadas em caso de necessidade. Por outro lado, o síndico deve ter conhecimento das situações de risco que podem ocorrer em sua gestão e o que fazer para evitá-las ou minimizá-las.

“Primeiramente, os colaboradores devem seguir as normas de segurança do condomínio além de executá-las, ajudando para que os moradores também as sigam e cumpram o que foi determinado em regulamento”, aponta o especialista.

Garantindo a segurança em áreas comuns do prédio

Para conseguir avançar em uma estrutura de proteção necessária para assegurar áreas comuns do prédio, o síndico precisa combinar em sua gestão três elementos fundamentais, são eles: equipe treinada, equipamentos de segurança de última geração e procedimentos de segurança bem definidos.

A participação da maioria dos moradores em assembleias de condomínio para debater sobre o tema em questão também é de fundamental importância, afinal, só assim as regras irão funcionar da maneira mais adequada, ou seja, atendendo a uma decisão coletiva.

Definição de procedimentos de segurança

A gestão precisa buscar minimizar ao máximo situações de riscos nesses ambientes. A definição de procedimentos de segurança deve assegurar que funcionários e moradores dividam a responsabilidade com o síndico no monitoramento e cumprimento dos procedimentos de segurança.

O síndico também deve sempre manter as áreas comuns de acordo com as normas de segurança. Itens de combate a incêndio, sinalização de vidros, pisos antiderrapantes, corrimãos, entre outros, devem estar sempre com a manutenção em dia, assim como adotar outras iniciativas que garantam a segurança nas áreas comuns do prédio.

Investimento em equipamentos de segurança

Uma forma do síndico automatizar a gestão das áreas comuns do prédio é adotar soluções tecnológicas inovadoras que atuem de forma inteligente para evitar que irregularidades sejam praticadas. Já existe no mercado de segurança equipamentos de última geração que podem ajudar no monitoramento desses ambientes. Investir nesse tipo de solução, possibilita que seja estabelecido alguns tipos de padronização do sistema que aponte não conformidades quando acontece uma situação fora do padrão estipulado. Exemplo: sistemas de segurança que possuem algum tipo de sensor de alarme que detectam a presença de pessoas nesses locais fora do horário permitido.

Treinamento da equipe de colaboradores

Uma das atribuições do síndico é promover a segurança, bem como os serviços que interessam a todos os moradores. Cabe ao gestor, assim como sua equipe de colaboradores impedir atividades recreativas em locais não destinados a tal. O não cumprimento das regras para áreas comuns dos prédios deve ser punida. Seja por meio de uma advertência verbal ou em casos de recorrência através do pagamento de multa.

A administração do condomínio é, portanto, responsável pela supervisão das áreas comuns do prédio para evitar que ocorram infrações e desentendimentos entre moradores e funcionários. Para regulamentar a utilização desses espaços, o ideal é melhorar a segurança do condomínio, a partir da elaboração de um projeto personalizado a fim de se levantar os riscos e vulnerabilidades e sugerir a solução como prognóstico de proteção. Assim, o síndico consegue garantir a segurança em áreas comuns do prédio, investindo em soluções que automatizem a gestão do condomínio como um todo.

Esse tipo de iniciativa contribui para evitar situações complicadas e de risco à gestão e à pessoa física do administrador. Afinal, a ocorrência de incidentes em áreas comuns do empreendimento podem responsabilizar o administrador civil e criminalmente, e até mesmo, colocar em risco seu próprio patrimônio, caso seja culpabilizado em decorrência de decisões judiciais.

  • COMPARTILHAR

  • |
  • |