Blog

Assessoramento técnico de engenharia: o que o síndico precisa saber

Assessoramento técnico de engenharia: o que o síndico precisa saber

20.09.19

|

postado por MARKETING KIPER

|

NEGÓCIOS

Síndicos são responsáveis por praticamente tudo o que acontece dentro do condomínio. Para exercerem bem o seu papel, no entanto, é preciso que contem com o auxílio de profissionais capacitados nas mais diversas áreas. Em relação a obras, é recomendado buscar assessoramento técnico de engenharia.

Do mesmo modo como se costuma contratar serviços jurídicos ou contábeis para ajudar na gestão do condomínio, é fundamental contar com consultores na área de engenharia na hora de fazer qualquer tipo de manutenção, reforma ou construção no edifício.

Essa é uma medida importante para garantir a segurança de todos dentro do empreendimento e para que todos os processos sejam feitos de acordo com a legislação vigente e as normas técnicas do setor. Afinal, o engenheiro é o profissional capacitado para avaliar as estruturas e sistemas do edifício e propor as melhores soluções.

Neste post, falaremos sobre a importância do assessoramento técnico de engenharia e o que o síndico deve saber no que diz respeito às reformas e manutenções do condomínio. Acompanhe!

Por que contar com assessoramento técnico de engenharia?

De uma maneira geral, condomínios são administrados por pessoas que não possuem o conhecimento técnico necessário para avaliar os parâmetros que envolvem a estrutura e os sistemas de um edifício.

Condomínios que contam com assessoramento técnico de engenharia têm o benefício de contar com decisões baseadas em conhecimento especializado, que avaliam as melhores alternativas para garantir a segurança de todos, Além disso, os profissionais da área de construção podem indicar os melhores caminhos para que as alterações necessárias sejam executadas. Isso torna mais fácil e assertiva a aprovação de obras e rateios junto aos membros da assembleia, uma vez que há uma justificativa real para cada centavo que será gasto.

Por outro lado, quando, por algum motivo, o síndico abre mão desse tipo de consultoria, ele está deixando, basicamente, de cumprir com parte de suas responsabilidades – devemos lembrar das atribuições do síndico definidas pelo Código Civil, e nele consta o dever de garantir a segurança do edifício e de seus moradores.

Assessoramento técnico de engenharia em edifícios antigos e novos

O assessoramento técnico de engenharia é válido tanto para condomínio antigos quanto para os novos.

Os edifícios mais antigos, que não possuem manuais de proprietário, podem se valer dos serviços de engenharia para avaliar e atualizar a estrutura da edificação. Para isso, é preciso ter em mãos as intervenções necessárias e os manuais para orientar tanto o síndico quanto os moradores sobre a manutenção e a conservação do prédio.

Por sua vez, os empreendimentos mais modernos podem se beneficiar por meio de um plano de manutenções preditivas e preventivas. Essa medida traz, inclusive, vantagens financeiras, pois evita gastos imprevistos com obras emergenciais, que são mais caras.

Além disso, o síndicos de condomínios recém-entregues podem lançar mão do assessoramento técnico de engenharia para levantar possíveis erros e vícios de construção que não estejam de acordo com o memorial descritivo da incorporadora e que podem, no futuro, trazer prejuízos e riscos ao condomínio.

Reformas em unidades

O assessoramento técnico em engenharia também é válido para as reformas dentro das unidades. O síndico pode requerer o parecer de um especialista sobre o plano de reforma apresentado pelo morador e os possíveis impactos no condomínio.

Os proprietários que desejarem realizar obras em suas unidades devem enviar um plano de reformas para o síndico. O documento deve conter todas as alterações que pretendem fazer. Dependendo da alteração, como mudanças em sistemas elétrico e de gás, é necessário o parecer de um profissional habilitado que se responsabilizará pelo projeto e execução da obra.

Vale lembrar que a NBR 16.280 preconiza que toda reforma só pode começar após a aprovação do plano de reforma pelo síndico.

Vistoria dos bombeiros

Outro ponto em que o assessoramento técnico em engenharia se faz importante diz respeito ao Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB), documento emitido pela corporação que atesta que o edifício é, de fato, seguro.

Para isso, no entanto, é preciso que seja elaborado um parecer técnico por um profissional habilitado, em que constem as principais informações sobre o empreendimento, trazendo um compilador de dados sobre os principais itens de segurança como portas corta-fogo, para-raios, iluminação de emergência, extintores, entre outros.

Com o parecer em mãos, o Corpo de Bombeiros apenas fiscaliza e valida o que o engenheiro atestou no documento.

Para saber mais sobre esse assunto, acesse o webinar que fizemos especificamente sobre o tema.

E você, conta com o auxílio de profissionais de engenharia para realizar a gestão de obras e manutenções do seu condomínio? Compartilhe conosco suas experiências; deixe-nos um comentário!

Para ficar por dentro das nossas novidades e ter acesso a mais conteúdos exclusivos, não se esqueça de visitar o blog da Kiper.

  • COMPARTILHAR

  • |
  • |