Blog

Dengue e as boas práticas de prevenção nos condomínios

Dengue e as boas práticas de prevenção nos condomínios

7.01.19

|

postado por MARKETING KIPER

|

TECNOLOGIA

Durante a temporada de verão, síndicos e moradores devem reforçar os cuidados para combater o mosquito da dengue. Afinal, devido às chuvas constantes nessa época do ano, é comum constatar o aumento da incidência de casos de dengue nos condomínios residenciais.

Os meses de novembro a maio são considerados o período epidêmico para propagação das doenças transmitidas pelo Aedes aegypti — transmissor da dengue, zika e chikungunya. Isso acontece porque o calor e as chuvas são condições ideais para a proliferação do mosquito, conforme revela em entrevista Divino Martins, coordenador do Programa Nacional de Controle da Dengue do Ministério da Saúde.

Para evitar que apartamentos e áreas comuns do prédio acumulem água parada se transformando em criadouros do mosquito da dengue, a vigilância deve ser constante. Por esse motivo, a união de todos — tanto síndicos quanto moradores e funcionários — é a melhor forma de minimizar a incidência de casos de doenças no condomínio.

A temperatura elevada é outro fator que favorece a proliferação do Aedes aegypti, segundo aponta a pesquisadora Denise Valle do Laboratório de Biologia Molecular de Flavivírus do IOC/Fiocruz. “Não só a chuva, mas também a temperatura, que começa a aumentar. O Aedes aegypti é sensível a essas duas coisas. Quando tem chuva aumenta a oferta de criadouros e quando a temperatura aumenta, aumenta a velocidade do desenvolvimento dele”, explicou.

Listamos a seguir os principais cuidados que devem ser adotados em condomínios para evitar a proliferação e o aumento de casos de doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti.

Boas práticas de prevenção contra o mosquito da dengue em condomínios

Condomínios residenciais costumam ser locais muito propícios para a proliferação da dengue. Isso porque, há uma grande concentração de pessoas e uma diversidade de locais onde o Aedes Aegypti pode se reproduzir.

A principal ação a ser adotada por síndicos e moradores é erradicar locais que concentrem água parada no condomínio. Para isso, é importante promover algumas práticas efetivas de prevenção que detalharemos melhor a seguir:

Conscientize os moradores sobre a importância de realizar inspeções de rotina nos apartamentos

Segundo dados da Fundação Nacional de Saúde (FUNASA), 90% dos focos da dengue estão nas residências. Esse levantamento demonstra a importância do síndico exigir um maior envolvimento dos condôminos na eliminação dos focos do Aedes aegypti nas residências, conscientizando os moradores sobre a necessidade de tornar a inspeção em casa um hábito semanal.

O ideal é que o síndico disponibilize aos moradores e funcionários um material informativo de prevenção contra o mosquito da dengue nos elevadores e quadro de avisos, explicando as boas práticas que devem ser adotadas nas residências e áreas comuns do prédio.

Realize inspeções regulares para evitar água parada nas áreas comuns do prédio

O síndico também deve assegurar que sejam realizadas inspeções regulares para evitar água parada nas áreas comuns do prédio. É importante manter o escoamento de água desobstruído e sem depressões que permitam acúmulo de água nas lajes, calhas e marquises — fator que contribui para proliferação do mosquito da dengue.

Outra área que precisa de atenção redobrada é a do entorno da piscina. Além de realizar o tratamento adequado da água, é necessário guardar em um espaço fechado ou cobrir os objetos que podem acumular água parada, como por exemplo: espreguiçadeiras, cadeiras e guarda-sol. Os brinquedos do playground também devem ser constantemente monitorados para evitar que se transformem em potenciais criadouros do mosquito da dengue.

Mantenha tampada a caixa d´água e lixeiras

Mantenha os sacos de lixo fechados e em áreas cobertas para que não acumulem água. É recomendado estabelecer um espaço adequado para armazenamento dos resíduos. O ideal é que o ambiente escolhido para acondicionamento adequado dos resíduos esteja sempre limpo e fechado para evitar o mau cheiro e a entrada de animais que possam contribuir para o surgimento de doenças. Também é necessário ficar atento à caixa d’água, verificando se está completamente tampada.

O síndico é o principal responsável pela manutenção do condomínio, devendo ficar atentos sobre as áreas que mais necessitam de atenção e limpeza constantes. No entanto, é dever de todos os condôminos adotar as boas práticas de prevenção contra o mosquito da dengue em condomínios, tanto em seus apartamentos quanto das áreas comuns do prédio.

Continue acompanhando o blog da Kiper para conferir outras dicas práticas de gestão condominial.

  • COMPARTILHAR

  • |
  • |