Blog

Conheça as habilidades do síndico profissional de sucesso

Conheça as habilidades do síndico profissional de sucesso

12.09.19

|

postado por MARKETING KIPER

|

NEGÓCIOS

Ser síndico não é um trabalho fácil. São muitos deveres e necessidades de conhecimento. Realizar a gestão de recursos e pessoas é uma tarefa que exige preparo e capacitação.

Pensando em contribuir para sua gestão mais eficaz, fizemos uma lista com as principais habilidades do síndico profissional e, no final do texto, confira o que não deve ser feito. Boa leitura!

Características e habilidades do síndico profissional

Confira a lista a seguir:

Ser organizado

O síndico profissional deve lidar com inúmeras demandas simultâneas, muitas vezes vindas de mais de um condomínio. Desse modo, organização e planejamento são dois atributos essenciais para otimizar sua rotina de trabalho.

É papel do síndico cuidar de toda a documentação do empreendimento e, por força da Lei, arquivá-la, o que deve ser feito com cuidado.

Além disso, é recomendável criar uma checklist para cada empreendimento que gerencia, listando as tarefas que devem ser feitas em cada local. É importante criar uma planilha com as demandas dos condôminos e os afazeres que a administradora deve apresentar.

Para lidar com o dinheiro alheio e manter as contas bem administradas, é preciso que haja organização no planejamento orçamentário e execução das tarefas.

Saber comunicar-se

É preciso que o síndico profissional mantenha uma boa estratégia de comunicação que mostre a funcionários e condôminos que ele está atento ao que acontece no empreendimento e se preocupa com todos.

Dos avisos afixados no mural e nos elevadores até a convocação de assembleias, cabe ao síndico manter uma postura aberta ao diálogo e receptiva a sugestões e críticas. No final, atitudes como essas colaboram para dar mais segurança aos moradores e aproximar a gestão do dia a dia do condomínio.

Saber trabalhar em equipe

O síndico é a figura que representa a gestão condominial, mas isso não quer dizer que ele deve centralizar todas as tarefas relativas à administração do condomínio.

É importante que ele enxergue nos colaboradores parceiros para garantir o bom funcionamento do condomínio. Ninguém conhece melhor a realidade do empreendimento do que os funcionários e, por isso, o síndico deve manter conversas periódicas para ouvir suas demandas e sugestões.

Em relação aos moradores, é importante aproximá-los da gestão do condomínio, descentralizando o poder e dividindo com todos a responsabilidade pelas decisões tomadas.

Conhecer a legislação

Dentre as principais habilidades do síndico profissional, deve se destacar o profundo conhecimento da legislação que rege o condomínio. Isso passa pelo Código Civil, pelo que determinam as leis brasileiras para o setor, e pelo regimento interno e convenção.

O alto nível de conhecimento e informação do síndico colabora para uma gestão eficiente do condomínio e é boa parte do caminho para resolver possíveis conflitos. Trata-se de uma característica primordial para enfrentar os questionamentos feitos durante as assembleias de condomínio.

O que síndico profissional não deve fazer

Fazer obras sem aprovação

O síndico deve evitar centralizar decisões e tomá-las arbitrariamente. Além de gerar conflitos, iniciar uma obra sem o consentimento da assembleia pode gerar grandes problemas e o síndico pode se ver forçado a desfazer a obra e a ressarcir o caixa do condomínio do próprio bolso.

É preciso que o síndico respeite o regimento interno e a convenção e fique atento ao quórum mínimo necessário em assembleia para a aprovação dos serviços.

Não fazer manutenção

Realizar manutenções periódicas é fundamental para garantir o bem-estar e a segurança de colaboradores e condôminos.

A falta de reparos – preventivos ou não – pode gerar consequências legais e até mesmo criminais ao síndico, que, novamente, pode se ser obrigado a cobrir possíveis estragos por conta própria.

É importante criar um cronograma de manutenção preventiva, com checklists dos principais pontos a serem observados. Esse passo é especialmente importante em estruturas que ofereçam riscos à integridade das pessoas, como elevadores, tubulação de gás e instalação elétrica.

Descuidar das finanças

O controle financeiro envolve o dinheiro de todos os proprietários de unidades e moradores, que esperam que as taxas pagas se revertam em serviços de qualidade. Por isso, o síndico tem uma série de tarefas orçamentárias que deve respeitar à risca.

A primeira delas é destinar corretamente os fundos do condomínio. Do mesmo modo que existe a parte destinada ao pagamento das despesas fixas do empreendimento, há o fundo de obras. E eles devem ser mantidos separados.

Se chegar o momento de retirar dinheiro do fundo de obras para arcar com salários ou manutenções preventivas, é porque há algo de errado no seu trabalho – e, novamente, ele pode ser obrigado a ressarcir o caixa do condomínio.

A outra parte diz respeito ao pagamento de encargos sociais e impostos. Cabe ao síndico profissional acompanhar o pagamento dos funcionários e dos tributos feito pela administradora e, se aplicável, por quaisquer empresas terceirizadas contratadas.

Esse acompanhamento é fundamental para evitar que o condomínio sofra ações trabalhistas na Justiça ou até mesmo enfrente problemas com órgãos governamentais.

O terceiro aspecto financeiro diz respeito aos inadimplentes. Quando um morador deve, ele fere toda a coletividade. Por isso, é importante que o síndico evite dar descontos a quem não está em dia com o condomínio. Caso seja concedido alguma benesse que os moradores discordem, o síndico pode ter que devolver o dinheiro ao caixa.

Para ter acesso a mais conteúdos exclusivos e saber mais sobre administração de condomínios, não deixe de conferir o blog da Kiper.

Aproveite e baixe gratuitamente o eBook Dicas do Odi 2, com sugestões de leituras para síndicos e gestores!

  • COMPARTILHAR

  • |
  • |