Blog

Taxa de condomínio: como combater a inadimplência e promover uma gestão financeira eficaz

Taxa de condomínio: como combater a inadimplência e promover uma gestão financeira eficaz

2.05.19

|

postado por MARKETING KIPER

|

NEGÓCIOS

A falta de pagamento da taxa de condomínio é um dos maiores problemas de gerenciamento que uma administradora de condomínio pode enfrentar. De acordo com artigo publicado site Sindiconet, nos últimos anos, o índice de inadimplência em condomínios saltou de 13% para 17%, podendo chegar a 50% dos moradores.

Uma das causas para esta alta taxa é a redução da multa por atraso. Segundo o site JusBrasil, ela passou de 20% para 2% ao mês, devido a alteração do artigo 1.336, § 1º, do Código Civil (Lei nº 10.406/2002), em vigor desde 11/01/2003.

Além de causar prejuízos para a administradora, a inadimplência em condomínios pode trazer problemas para os próprios condôminos. Em post do site CondomínioSC, Rodrigo Karpat, advogado especializado em direito condominial, explica que, “se houver uma inadimplência de 10%, por exemplo, todos estarão pagando 10% a mais de taxa condominial”.

Sendo assim, reunimos algumas dicas para que sua administradora consiga cobrar a taxa de condomínio de forma eficaz e acabar com a inadimplência. Continue lendo!

1. Identifique os devedores e as formas de lidar com eles

O primeiro passo para combater a inadimplência da taxa de condomínio é identificar quem são os devedores. A seguir, a administradora pode classificá-los da seguinte forma: devedores contumazes (que costumam acertar a dívida, mas pagam com atraso de dias ou semanas), devedores de até 12 meses de atraso e devedores de valores maiores.

Cada segmento deve ser abordado de maneira diferente: para os devedores contumazes, por exemplo, deve-se adotar uma política rígida de reeducação e envio do caso a um escritório de advocacia, corando de forma extrajudicial, com acréscimo de 10%.

Com os devedores recentes, o sugerido é tentar fazer um acordo. Já nos casos mais antigos, deve haver imediata distribuição da ação de cobrança.

2. Estabeleça uma régua de cobrança

Muitas vezes, o atraso no pagamento da taxa de condomínio ocorre simplesmente por esquecimento. Sendo assim, a administradora pode adotar um jeito de estar sempre um passo à frente, diminuindo tempo e recursos que seriam direcionados a atitudes mais duras de cobranças: a régua de cobrança.

A régua de cobrança garante que o condômino seja informado com antecedência sobre o vencimento das taxas. A régua também permite que, depois de alguns dias em aberto, a cobrança do boleto em atraso seja feita em tempo hábil, antes que se torne um problema de solução mais complexa.

3. Defina diferentes meios de cobrança

Felizmente, a tecnologia tem ajudado as administradoras a definirem mais formas para cobrarem as taxas de condomínio dos moradores. Um exemplo é o envio de e-mails e de SMS. No caso de atrasos maiores, pode-se programar o envio de uma carta para o condômino que está devendo.

Isso é essencial para manter a previsibilidade da receita e reduzir custos de sua administradora.

4. Crie uma área do condômino

Criar uma área virtual do condômino é uma forma de reunir dados importantes sobre o cotidiano do morador. É uma área exclusiva, que pode ser, por exemplo, no portal do condomínio ou num aplicativo, onde o condômino pode acessar suas informações financeiras.

Além disso, ele tem a comodidade de acessar um local em que possa gerar uma segunda guia de boletos, o que pode ajudar a acabar com a inadimplência. Na área do condômino, o morador também pode acessar lembretes sobre a proximidade das datas de vencimento, cobranças pendentes e ações de pagamento.

5. Reduza as despesas e invista na valorização do imóvel

Já comentamos aqui no blog que diminuir as despesas condominiais pode levar a uma redução de até 30% na taxa de condomínio. Isso, por sua vez, pode contribuir para diminuir a taxa de inadimplência.

Sendo assim, investir em ações e dispositivos para diminuir as despesas do condomínio é vital. Um exemplo é a portaria remota, solução que gera a redução de custos e aumento da qualidade das atividades de rotina da gestão, que permite a automatização do controle de acesso ao prédio.

Como já vimos aqui, usar a portaria remota pode gerar uma economia de até 50% na taxa de condomínio.

E então, gostou das nossas dicas? Quer receber outras para administrar seu condomínio de forma ainda mais eficiente? Continue acompanhando os conteúdos do blog da Kiper.

  • COMPARTILHAR

  • |
  • |